Terça, 07 de Dezembro de 2021
25°

Poucas nuvens

Barra Velha - SC

Dólar
R$ 5,65
Euro
R$ 6,35
Peso Arg.
R$ 0,06
Brasil BRA-ECONOMIA/Finanç.

PREVISÃO DE ROMBO FISCAL

Governo reduz de R$ 139,4 para R$ 95,8 bi...

22/11/2021 às 20h28 Atualizada em 24/11/2021 às 18h46
Por: Rui Candeias Fonte: rc-b.caram-jb-fp
Compartilhe:
PREVISÃO DE ROMBO FISCAL

PREVISÃO DE ROMBO FISCAL

Governo reduz de R$ 139,4 para R$ 95,8 bi, em 2021

rc-b.caram-jb-fp-21.11.21

BRA-ECONOMIA/Finanças

 

O Ministério da Economia revisou as projeções de receitas e despesas para este ano e, pela primeira vez, passou a prever um rombo inferior a R$ 100 bilhões para as contas federais no encerramento de 2021. Pelos novos cálculos da pasta, divulgados nesta segunda-feira (22), o governo deve fechar o ano com um déficit primário de R$ 95,8 bilhões. A estimativa anterior, feita em setembro, apontava para um rombo de R$ 139,4 bilhões.

A redução de gastos previstos para o ano deve abrir uma margem de R$ 6 bilhões para novas despesas ainda em 2021. Isso permitirá uma liberação de recursos para ministérios, ainda não detalhados pelo governo. De acordo com a pasta, o resultado é fruto de uma melhora da arrecadação, impulsionada pela recuperação da atividade após o período mais agudo da pandemia do coronavírus.

Pelo lado das receitas, o governo estima um aumento de R$ 57,7 bilhões na arrecadação, se comparado com a projeção anterior. Nessa previsão, estão contidos aumentos nas receitas de tributos administrados pela Receita Federal (R$ 21,8 bilhões), nas contribuições previdenciárias (R$ 7,3 bilhões) e exploração de recursos naturais (R$ 6 bilhões). Há ainda uma previsão de ganho de R$ 17,7 bilhões com dividendos.

Nas despesas, o governo agora prevê a redução de R$ 4 bilhões em gastos, em relação ao estimado há dois meses. Há queda, por exemplo, em abono e seguro desemprego (menos R$ 1,6 bilhão), folha de pagamentos (menos R$ 201 milhões) e subsídios (menos R$ 192 milhões).

A conta das despesas não ficou ainda menor porque o governo autorizou a liberação de R$ 1,4 bilhão para a compra de vacinas contra a Covid-19. “É um consolidado de informações que mostra que os resultados fiscais estão caminhando no sentido da consolidação. As contas fiscais estão dentro da trajetória que se esperava”, disse o secretário do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago.

A equipe econômica prevê uma redução no indicador da dívida bruta do governo de 88,8% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020 para 81,7% no fim deste ano. O cenário, segundo a pasta, pode sofrer alteração caso o Congresso aprove a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que limita gastos com precatórios -dívidas do governo reconhecidas pela Justiça e sem possibilidade de recurso. A medida também promove uma alteração na fórmula de cálculo do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas federais à variação da inflação.

A proposta deve abrir um espaço de R$ 106 bilhões nas contas de 2022, o que permitirá a ampliação de gastos com o Auxílio Brasil, salários de servidores e emendas parlamentares -recursos para projetos e obras indicados por deputados e senadores. Com a previsão de mais despesas, o Ministério da Economia afirma que a dívida bruta pode encerrar 2022 em 81,7% do PIB se a PEC for aprovada, contra a previsão atual de 80,5%.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Barra Velha - SC Atualizado às 11h17 - Fonte: ClimaTempo
25°
Poucas nuvens

Mín. 19° Máx. 25°

Qua 26°C 17°C
Qui 26°C 16°C
Sex 28°C 17°C
Sáb 30°C 18°C
Dom 31°C 18°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias